sexta-feira, 28 de Agosto de 2009

Sou tudo… sou nada!


Num clarão de vida…
Sou como chama ardente que queima
Em corpo que clama,
Arrebata e sangra…
Sou folha de um livro
Desfolhado ao vento,
Perdido num tempo
Onde o ar inflama!

Sou sol, sou chuva,
Sou fascínio evidente
Sou triste, sou contente
Sou Rei… tenho frio!
Sou vertente que brota
No leito de um rio…
Sou água que corre na corrente
Puro e tão-somente
Que cria coragem
E segue seu rumo…
Calado e sombrio!

Sou voz falante
Num mundo que cala!
Sou choro de criança
Que nasce na esperança
De ver tudo… em puro encanto!
Sou futuro, sou passado
Sou perdido, sou achado
Sou presente
A vida pressente!
Sou pouco e sou tanto…
Sou palavras de um velho livro
Esquecido de ser lido,
Perdido… Jogado a um canto!


No silêncio gritante
Das frias madrugadas…
Sou minuto contraído,
Sou sonho que desperta cedo
Com rosto de menino
De lágrima lavada…
Sou caminho, sou estrada
Sou muitos, sou sozinho
Sou gigante, sou pequenino
Sou tudo… sou nada!


-Manzas-

25 comentários:

  1. É sempre um prazer ler os teus poemas. Cheios de verdades e sentimentos. Poema que relata todas as faces do ser humano, pelo menos daquele que vive e sente a vida.

    ResponderEliminar
  2. Nunca perco a viagem vindo até aqui.
    Seus poemas são belíssimos...parabéns!
    Um grande beijo e ótimo finalzinho de tarde pra você.

    ResponderEliminar
  3. Excelente poema!! Adorei. Muitos beijos.

    ResponderEliminar
  4. OLÁ
    Passei por aqui e gostei, como sempre seus poemas são lindos.
    Você é tudo.
    Todo o meu carinho BJS.

    ResponderEliminar
  5. Meu caro amigo, que linda é a forma que escreve, meus sinceros aplausos.

    ResponderEliminar
  6. Bela forma de mostrar o seu "eu"!
    As palavras sentem-se enconlhidas com a tua presença.
    Beijinho terno

    ResponderEliminar
  7. Quanta inspiração ao descrever " meu eu". Sou tudo e ao mesmo tempo sou nada...

    Maravilhoso

    Um otimo final de semana

    Andresa Araujo

    ResponderEliminar
  8. Lindo poema!!!!!

    Somos tudo e somos nada ao mesmo tempo.

    ResponderEliminar
  9. Olá Manzas, tudo bem com vc?
    Lindo seu poema, adoro vir aqui e sempre saiu com uma sensação boa depois de ler tão belas palavras....
    Tenha um ótimo domingão....
    Beijos....

    ResponderEliminar
  10. É reconfortante ler-te...
    BEIJO
    MARIA

    ResponderEliminar
  11. Sou tudo...Sou nada...
    Mas acima de tudo é um grande poeta.
    Estou-lhe grata pelas palavras lindas que nos dá a conhecer e cada vez mais me convenço que você já tem, ou se não tem devia ter, um lugar cativo
    na galeria dos grandes poetas contemporâneos.
    Um a braço
    Vera Lucia

    ResponderEliminar
  12. Adorei seus poemas. São lindos. Quanta nostalgia vai na sua alma. Beijócas

    ResponderEliminar
  13. Passei... e fiquei! É tudo, sem ser nada. Um beijo Graça

    ResponderEliminar
  14. Belo poema!
    Tenha uma noite com sonos tranquilos e sonhos alucinantes.
    1000 beijinhos!

    ResponderEliminar
  15. és uma chama ardente vibrando alto e longe. que lindo este teu poema.
    beijos no coração, abraços na alma.
    Cleo

    ResponderEliminar
  16. Todos nós somos um pouco de tudo isso que tão bem sabe descrever!

    Beijo Intemporal na sua alma

    ResponderEliminar
  17. Esquecido de ser lido...jamais!

    Gigante sim...em tudo!

    Coração, alma, sensibilidade e sempre, sempre, belas palavras.

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  18. Quem és?
    Um poeta com a alma plena de sensibilidade e delicadez!!!

    Este poema é perfeito em idéia e forma!!

    Um beijo!!!Sonia Regina.

    ResponderEliminar
  19. É sempre muito gratificante ler os poemas .
    Eles tocam a alma ...
    Beijos iluminados...
    Marisol

    ResponderEliminar
  20. Procurava algo que me toca-se a alma, encontrei seu MARAVILHOSO poema... Obrigada
    Sil

    ResponderEliminar
  21. sou tudo sou nada...
    sou o ar que liberta e prende
    O sonho acordado ou adormecido
    O motivo prá se ter esperança e esperar por ela
    sou as palavras soltas ao vento suspirando liberdade enquanto está presa em si mesma desejando sempre um lugar prá ir e ficar...depois partir...e recomeçar ...
    sou aquio que o tempo jamais será capaz de apagar
    que o fogo que arde e queima não faz mal algum
    e que nem as a´guas dos rios mais fortes ou poderosos são capazes de apagar
    sou o desejo,o araço e o beijo
    as palavras,a inspiração
    o silêncio e a sabedoria
    a aparente demência ,causa perdida
    sou o lhar vazio ,porém profundo
    que prescruta a alma e conhece o caminho
    sou o aroma da flor
    o sussuro do vento
    a música da madrugada silenciosa
    sou o sorriso e lágrima mais uma vez
    na chegada,na partida
    sou presente mesmo ausente
    sou a mão carinhosa,o toque
    a timidez e a ousadia
    isso é um pouco de quem sou ...sendo impossível descrever a mim mesmo poruqe já não sei se este sou eu eu é só o amor tudo o que restou de mim

    ResponderEliminar
  22. Maravilhoso poema.Quanta sensibilidade...Adorei!!

    ResponderEliminar
  23. Olá, navegando te encontrei e de seus poemas gostei.
    Se me permite gostaria de postar algumas em meu blog de vez em quando.
    Parabéns pelas belas poesias, abraços

    ResponderEliminar

Um pensamento, uma reflexão,
um comentário …
Caloroso abraço de sua opinião
com sorriso de entusiasmo
de eterna Gratidão…