sexta-feira, 4 de junho de 2010

Mesmo existindo…

Desperto-me por entre a bruma

Destapo o manto

Envolto na madrugada fria,

Cheiro a brisa… me levanto!

Disperso-me pela geada de alma nua

Arrastado por um leve vento

Em grito de euforia.

Esbarro-me nos muros de pedra dura

Esmago o silêncio

Enraizado por esta dor que teima vencer…

Sem saber como, descubro a cura

Ressuscito-me no eterno das palavras

A cada dia que me sinto morrer!

Corro para dentro de mim

Salto para dentro do meu jardim

Apenas sou mais um, dos que lá entraram

Sou todos aqueles que colheram flores

Sou venenos, sou amores

Sou todos aqueles… que as pisaram.

Misturando-me no tempo

Adianto-me aos sonhos sem adormecer

Com o devido tempo

Abro as portas e janelas do meu ser

Viro as costas, cerro os olhos

Vejo sombras… as minhas sombras!

Um manto de tudo o que a minha sombra cobre,

É medo que se destapa

É ferida que fere e mata

Um céu se encobre…

Que venha rápido o amanhecer!

Atiro as pedras ao charco

Afugento meus fantasmas

Num mar de lágrimas, mar vermelho…

Tento agitar minha calma, minha alma

Mergulhando de cabeça no presente

Aprendendo de novo, a sorrir diante ao espelho.

Ainda me resta uma mão cheia de nada

Um punhado de sementes

Que irei plantar em terras férteis e quentes.

Mais devagar, ou como seta

O importante é chegarmos mais além

O importante é chegar a meta!

Não mais irei caminhar

Medindo a extensão do percurso…

Não mais irei hibernar

Como um tolo ou como um urso!

Vou desatar-me desta sonolência

Deste frio que não me liberta

Talvez ser crente, noutra crença

Talvez ter alma de poeta.

Lutar será o lema!

Escutando cada pedido de socorro de um poema.

Serei o mundo que ainda não alcancei

Viverei apenas pela poesia que ainda não escrevi…

Amar de todo, o que ainda não amei

Hospedar em mim, o sopro vivo da vida,

Porque mesmo existindo…

Eu nunca me achei…

Eu nunca existi!

.

-Moisés Correia -

10 comentários:

  1. Quão profunda e bela as tuas palavra, é um poema muito íntimo mesmo, daqueles de você para você!

    ;)

    Abraços...Lú MElo

    ResponderEliminar
  2. Este poema reflecte, a meu ver, um tempo de inquietação, de revisitação de momentos em que viver foi pouco gratificante; porém resta, ainda, a capacidade de semear e, por isso, a possibilidade de colher e, finalmente, existir!
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Foi de tirar as palavras e de não tirar os olhos!

    Está... (não hà palavras)

    Bom trabalho Manzas!

    ResponderEliminar
  4. o vento afaga
    o cabelo das velas
    que apaga
    Bom final de semana,
    Boas energias sempre!
    Mari

    ResponderEliminar
  5. Que a nossa busca não nos impeça de viver, que a nossa vida não nos impeça, NUNCA, de buscar! Um beijo, Deia

    ResponderEliminar
  6. É com muita alegria que nós, do Espaço Aberto, viemos te convidar a participar do nosso primeiro Concurso Literário, a ser realizado no dia 12 de Junho, próximo sábado. Os interessados deverão fazer, nesse dia, um post em seus blogs, escrevendo sobre o tema: “Meu jeito de dizer que te amo” e o título do post deve ser esse mesmo. Mas ATENÇÃO: desta vez não haverá prazos, o concurso é válido SOMENTE para o dia 12 de JUNHO.
    Assim que postar o seu texto, visite-nos no Espaço Aberto e deixe lá o seu link para que possa participar do concurso.

    Contamos com a sua participação!
    Até sábado!

    Todas as informações sobre o concurso poderão ser encontradas e as dúvidas tiradas nos seguintes blogs:

    http://bomruim.blogspot.com/
    http://jardimdasan.blogspot.com/
    http://lienemarcia.blogspot.com/
    http://lienemarcia.blogspot.com/
    http://frutosdoverseiro.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Como sempre as suas palavras são únicas...Há muito tempo que procurava seu blog.

    ResponderEliminar
  8. Boa noite Manzas
    lindo poema
    que a semana comece da melhor maneira
    Besito
    ;)

    ResponderEliminar
  9. Lindo ,doce e triste.

    Soou-me como auto confissão que se descortinou para todos nós!

    Um beijo,saudades!

    Sonia Regina.

    ResponderEliminar

Um pensamento, uma reflexão,
um comentário …
Caloroso abraço de sua opinião
com sorriso de entusiasmo
de eterna Gratidão…