segunda-feira, 25 de abril de 2016

Volto do silêncio





















Volto do silêncio
Como quem volta de uma viagem
De espectáculos fatigáveis
De olhos repletos e mãos cheias de rostos.
Passeei de mão dada á tristeza que não viste!
Às noites frias do inverno
Aos sonhos malogrados
Em suspiros e desgostos.

Volto do silêncio
Com a mesma voz de outrora
Suspenso nas palavras
Bagagem por desfazer
Desequilibrando-me no pensamento
Com tudo ou nada por dizer.

Volto do silêncio
Ainda mais mudo do que a terra que me há de comer.


-Moisés Correia-

5 comentários:

  1. NÃO emudeça.
    Sempre vou querer te ouvir em poesia, como em...
    https://www.youtube.com/watch?v=mWOTdt9Bovk
    que hoje especialmente te ofereço.

    ResponderEliminar
  2. Vamos aonde o coração nos guia...
    Nem sempre é para onde devemos voltar!
    Esse silêncio diz tanto...
    Por mais que a nossa voz tentem calar!

    ResponderEliminar
  3. Volto com o silêncio...? Sim, entendo, também eu voltei do silêncio, mas quero que a canção do poema brilhe na noite dos meus cansaços... Abraça a poesia e canta o sorriso da vida, mesmo que seja uma saudade, uma amargura, uma incerteza. É bom escrever o sentimento que sufoca o coração.

    Beijinho azul do meu mar*

    ResponderEliminar
  4. quanto tempo não venho aqui. saudades desse blog!!
    bjos...

    ResponderEliminar

Um pensamento, uma reflexão,
um comentário …
Caloroso abraço de sua opinião
com sorriso de entusiasmo
de eterna Gratidão…